A mulher está internada no Hospital Regional de Rondonópolis-Foto: Arquivo AgoraMT
Hospital Regional de Rondonópolis é um dos hospitais geridos por OSS-Foto: Arquivo AgoraMT

Todos os cinco candidatos ao cargo da majoritária para as eleições deste ano em Mato Grosso se declaram contrários as Organizações Sociais de Saúde (OSS) que comandam atualmente quatro hospitais do Estado. O número era maior porém três contratos foram reincididos em abril deste ano por supostas fraudes, inclusive desvio de verbas.

O médico Lúdio Cabral (PT) já prometeu durante entrevistas que caso seja eleito irá, ainda no primeiro ano de gestão, encerrar o contrato com as OSS e retomar a gestão pública dos hospitais. Já o jornalista Marcondes Muvuca (PHS) afirmou que há um descontrole em relação as Organizações e que isto pode ser resolvido em uma só canetada.

Leia também:  Projeto prevê o plantio de árvores frutíferas em APP’s e terrenos baldios da cidade

O deputado José Riva e o candidato do Psol José Roberto também têm a mesma opinião sobre as OSS e o objetivo é acabar imediatamente com esse tipo de gestão. O senador Pedro Taques (PDT), mesmo estando coligado ao PP, partido responsável pela implantação das Organizações no Estado afirma ser contra este modelo de gestão.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.