A 6ª fase da ‘Operação Ararath’ aconteceu na manhã desta sexta-feira (26) com o cumprimento de cinco mandados de busca e apreensão, sendo dois em Cuiabá (MT) e três em Ribeirão Preto (SP). Entre as ordens judiciais a serem cumpridas estava o apartamento do candidato e suplente de deputado estadual Gilmar Fabris (PSD), na Capital.

O juiz federal da 5ª Vara Federal em Mato Grosso, Jeferson Schneider, atendeu o pedido feito pelos procuradores que compõem a força-tarefa do Ministério Público Federal que atua em Mato Grosso. Além de Gilmar também era alvo da Operação a esposa dele Anglisey Volcov e o advogado Ocimar Carneiro de Campos.

Outro local que recebeu a visita da Polícia Federal (PF) foi o escritório de Ocimar Carneiro de Campos, que é concunhado do candidato a Assembleia Legislativa. Fontes da PF informaram que os agentes apreenderam os telefones celulares dos três investigados; um computador portátil de Ocimar, entre outros documentos que ainda serão periciados.

Leia também:  Agricultores Familiares pede contorno na BR-364 próximo à Escola São Vicente.

Depois que documentos foram apreendidos pela PF em outras fases da “Operação Ararath”, começou a ser investigada uma conexão entre Gilmar Fabris e o ex-secretário de Fazenda, Copa e Casa Civil, Éder Moraes. De acordo com informações os dois teriam feitos empréstimos fraudulentos com o empresário Gércio Marcelino Mendonça Júnior, o “Júnior Mendonça”, como mostra um documento apreendido em fevereiro deste ano pela PF em que Éder supostamente autoriza o pagamento de uma Nota Promissória de R$ 1,4 milhão para Gilmar Fabris.

“Amigão, irmão, brother! Assunto G.F 1,3 mm sem problemas, 60 dias”, diz anotação achada na casa do ex-homem forte do senador Blairo Maggi (PR) e governador Silval Barbosa (PMDB).

Leia também:  PMDB pode analisar expulsão de ex-governador Silval Barbosa

Em depoimentos dados ao juiz federal Jefferson Schneider, Éder Moraes chegou a ser questionado sobre vários assuntos. Dentre eles, foi a emissão de cartas de crédito pelo Governo do Estado para agentes da secretaria de Fazenda de Mato Grosso.

A Operação Ararath tem o objetivo de desarticular uma organização criminosa especializada em crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro em Mato Grosso. Quatro pessoas já respondem a uma ação penal proposta pelo Ministério Público Federal e ainda estão em trâmite 13 inquéritos policiais (investigações).

ENTENDA O ESQUEMA

Denúncia de ex-mulher foi que resultou na Operação Ararath

 

LEIA TAMBÉM

Operação Ararath leva Riva e Eder Moraes para a cadeia

Leia também:  Prefeito sugere aumento de 400% na taxa de iluminação pública, Thiago Muniz rebate

Ararath: Blairo, Fabris e Percival aparecem em lista de créditos ilegais de Eder Moraes

Ararath | Doador da campanha de Taques e sua servidora aparecem em relatório da PF

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.