Diversas cidades do Brasil têm sofrido com a escassez de chuva e, consequentemente, a baixa umidade do ar, que provoca alergias, ressecamento da pele e dificuldades respiratórias. Diante deste cenário, algumas pessoas buscam um refúgio do calor e da secura do ambiente ligando o ar condicionado do carro, já que ele dá uma sensação de refrescância, mas será que isso faz bem e minimiza os problemas de clima seco?

A resposta é não. Nessa situação, o ar condicionado resseca ainda mais o ambiente e as mucosas em geral. Isso acontece porque o ar condicionado “rouba” a umidade presente no carro, em vez de aumentá-la, o que pode resultar em irritações nos olhos, pele ressecada, nariz entupido ou escorrendo, náuseas e outros sintomas parecidos.

Leia também:  Saúde | Câncer de próstata, diagnóstico precoce é o caminho da cura e prevenção

Outro ponto que agrava os sintomas é a baixa manutenção do ar condicionado dos carros, que favorece a proliferação de ácaros, vírus, bactérias e o aumento da poeira. O recomendável, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é fazer uma manutenção no equipamento a cada seis meses, trocando os filtros quando necessário.

Se você está sofrendo com a baixa umidade do ar, aposte em umidificadores, tome bastante água, utilize colírios apropriados nos olhos e soro no nariz para lubrificar as vias respiratórias. Nessa situação, o ar condicionado definitivamente não é um aliado.

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.