Superação faz parte da vida de Silvana Lima. E sua história não poderia ser diferente na etapa de Gold Coast, que abre o Circuito Mundial de Surfe de 2015. Depois de ser o destaque da primeira fase ao bater a hexacampeã Stephanie Gilmore, a brasileira de 30 anos levou o troco da australiana no round 3 e foi empurrada para a repescagem. Na bateria que decidia sua permanência na competição, por pouco não foi eliminada pela surfista local Sally Fitzgibbons.

Mas no fim, virou o placar com direito ao chamado “dez perfeito”, quando todos os cinco juízes dão a nota máxima para a onda – o único até o momento do evento, contando tanto as baterias femininas quanto as masculinas. Com a vitória por 17,73 a 16,96 na quarta fase, Silvana conquistou vaga nas quartas de final, onde fará o “tira-teima” com Gilmore. Já Sally foi eliminada.

– Estou superfeliz, amarradona. Estou nas nuvens – disse, eufórica com o triunfo heroico.

Na bateria anterior, Tatiana Weston-Webb, surfista nascida em Porto Alegra (RS) e que compete pelo Havaí, também conseguiu vaga nas quartas de finais de forma emocionante, ao derrotar a australiana Dimity Stoyle por apenas um décimo: 14,83 x 14,73. Na próxima fase, a “havaiana-gaúcha” vai encarar Malia Manuel. Saiba mais sobre o duelo de Tati clicando aqui.

Leia também:  Federação realiza arbitral após desistências em série

“Dez perfeito” de Silvana na melhor bateria do evento até o momento

Silvana começou abrindo mão de uma onda e vendo Sally anota 9,63 logo nos primeiros minutos. Na sequência, a australiana anotou um 6,33, deixando a brasileira em “combinação”, quando precisa tirar duas notas para conseguir virar. Foi então que Sil tirou da cartola um “air reverse” e completou a onda com maestria para levar o público à euforia. A façanha lhe rendeu o “10 perfeito”, quando todos os cinco juízes dão a nota máxima (para tirar 10 basta quatro notas máximas, já que a maior e a menor são descartadas).

Mas nem o 10 perfeito era suficiente. Sally tinha 15,96 contra 11,27 da brasileira, que precisava de um 5,97 para virar. Sil foi atrás de mais uma boa nota. Arriscando ao máximo, acabou caindo e desperdiçando uma onda com potencial, na qual tirou 4,83. Nos dois minutos finais, Silvana dropou uma boa onda, enquanto a australiana pegou duas. Com o cronômetro zerado, foi precisou aguardar a decisão dos juízes para saber quem havia vencido. Sally recebeu um 7,33, fazendo a rival precisar de 6,97.

Leia também:  Após derrota, Luve tem desafio contra o Oeste

– Vi a Sally pegar uma onda que achei que não ia ser boa. Pensei “Nossa, a menina começou com uma nota dessa acima de 9. Por que não fui nessa onda?”. Mas eu pensei “a bateria não acabou”. Tiveram altas ondas. Estava confiante que ia pegar uma para dar um aéreo, e consegui completar e tirar um 10. No fim, acreditava em Deus que uma onda ia vir para mim e eu ia dar o máximo para conseguir uma boa nota. A bateria só acaba quando soa a buzina – lembrou.

A apreensão era geral, a brasileira poderia ser eliminada mesmo ganhando o primeiro 10 do evento. Mas se na terceira fase Silvana saiu da água achando que havia vencido e se decepcionou com a derrota no fim, dessa vez a história foi diferente. E com um 7,73, virou o jogo. Mas ainda restava aguardar a última nota de Sally. Ainda no mar, Sil rezou. Nota 6,67 para a adversária, insuficiente para tirar a vitória da guerreira cearense, que abriu o sorriso.

– Fiquei esperando “Será que virei? Será que não virei?”. E acabei conseguindo a virada. Vi a última onda dela, achei que ela poderia ter dado o troco. Fiquei na dúvida, mas ela precisava de uma nota excelente. Graças a Deus deu tudo certo e agora a gente está nas quartas – completou.

Leia também:  Em competição em Cuiabá, estudantes de Rondonópolis se classificam para Jogos Brasileiros

Resultados da 3ª fase – Feminino:

1: Sally Fitzgibbons (AUS) 11,90 x Malia Manuel (HAV) 15,50 x Tatiana Weston-Webb (HAV) 12,37
2: Stephanie Gilmore (AUS) 15,83 x Dimity Stoyle (AUS) 9,64 x Silvana Lima (BRA) 15,40
3: Tyler Wright (AUS) 17,20 x Courtney Conlogue (AUS) 16,27 x Coco Ho (HAV) 15,33
4: Carissa Moore (HAV) 16,10 x Lakey Peterson (EUA) 14,90 x Nikki Van Dijk (AUS) 12,03

Resultados da 4ª fase (repescagem) – Feminino:

1: Dimity Stoyle (AUS) x 14,73 Tatiana Weston-Webb (HAV) 14,83
2: Sally Fitzgibbons (AUS) 16,96 x Silvana Lima (BRA) 17,73
3: Courtney Conlogue (AUS) 15,80 x Nikki Van Dijk (AUS) 14,54
4: Lakey Peterson (EUA) x Coco Ho (HAV)

Baterias das quartas de final:

1: Malia Manuel (HAV) x Tatiana Weston-Webb (HAV)
2: Stephanie Gilmore (AUS) x Silvana Lima (BRA)
3: Tyler Wright (AUS) x Courtney Conlogue (EUA)
4: Carissa Moore (HAV) x Lakey Peterson (EUA)

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.