Bispo Dom Juventino Kestering - Foto: Varlei Cordova / AGORA MT
Bispo Dom Juventino Kestering – Foto: Varlei Cordova / AGORA MT

Em comemoração ao dia de São João Batista, escolhido como padroeiro de Rondonópolis, a igreja católica realiza uma celebração religiosa cultural na Matriz da Paróquia São João Batista às 19h30min desta quarta-feira (24) em Rondonópolis. A igreja fica localizada na avenida Batuíra, bairro Parque Universitário, no Oratório Dom Bosco com procissão e homenagem ao padroeiro.

São João foi escolhido como padroeiro por ser santo Bíblico, aceito pelas denominações religiosas e modelo de vida. “A imagem de São João Batista tem a mão estendida. Aponta para a cidade convocando os cidadãos a olharem pela juventude, famílias, bem estar, progresso, acessibilidade percorrendo os caminhos da honestidade, da justiça e dos valores do Evangelho. Uma cidade, um povo, um município não pode ser regido somente por metas econômicas, mas também pelos valores, cultura, educação, tradições. E a religião tem este papel elementar na vida das pessoas” explica o Bispo Dom Juventino Kestering.

Leia também:  Dia dos Pais | Rondonopolitano deve gastar entre R$ 50 e R$ 100 com presente

Em Rondonópolis o Dia do Padroeiro ainda não é feriado, porém, esse fato não impede que a data seja comemorada pelos fiéis rondonopolitanos.

HISTÓRIA 

O Bispo diocesano, Dom Juventino, explica que São João era filho de Isabel e Zacarias, contemporâneo de Jesus e que iniciou a sua missão de ‘preparar os caminhos para Jesus’ com sua pregação à beira do rio Jordão. “Era um homem temente a Deus e vivia no deserto. Alimentava-se com insetos, ervas e mel” pontua o Bispo.

Ainda conforme a explicação de Juventino, foi João Batista que batizou Jesus nas águas do rio Jordão.

TRADIÇÕES

O termo “festa junina” está associado a tradições de países cristãos europeus que prestam homenagem a São João no dia 24 de junho.

Leia também:  Primeiro dia de campanha atrai consumidores

Um dos grandes símbolos das festas juninas é a fogueira de São João. Segundo a tradição católica, ela surgiu na noite do nascimento do santo, quando sua mãe, Isabel, teria mandado acender uma fogueira nas montanhas da Judeia para anunciar a chegada do filho ao mundo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.