Ele é lutador do UFC e sargento no exército dos EUA, mas nem isso o impediu de ser alvo de ameaças do Estado Islâmico, grupo extremista islâmico conhecido por sua violência e ataques terroristas.

“Acabei de falar com o FBI sobre algumas ameaças críveis enviadas a mim pelo Estado Islâmico”, escreveu Tim Kennedy em sua conta no Facebook. “Deixem esses covardes virem.”

Kennedy afirma receber de 5 a 10 ameaças por dia através de suas contas nas redes sociais. Segundo ele, a maioria das ameaças são ‘trolagens’ com escolhidos entre militares do alto-escalão. “Aparentemente algumas dessas ameaças são legítimas, segundo o FBI”, afirmou o lutador em entrevista ao Army Times.

Leia também:  1º Campeonato de Futebol Amador é suspenso temporariamente

A publicação afirma que Kennedy foi procurado pelo FBI na última quarta. “Eles me perguntaram se eu estava ciente das ameaças e eu disse que sim. Me falaram que as ameaças eram críveis, então os questionei sobre o quão preocupante a situação é”, acrescentou.

Recentemente, Kennedy deu início a um grupo focado em ensinar defesa pessoal. “Qual é a definição de terrorismo? É atingir um objetivo usando força e medo. Eles são seres sujos, maléficos e nojentos que desrespeitam a vida. Eu ensino como as pessoas devem lidar em situações ameaçadoras como essas”, finalizou o lutador.

Ex-lutador do Strikeforce, Kennedy está no UFC desde julho de 2013. Na carreira, contabiliza 23 lutas, sendo 18 vitórias e 5 derrotas.

Leia também:  Luve vence fora de casa e escapa da degola
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.