Foto: arquivo pessoal
Foto: arquivo pessoal

O Corpo de Bombeiros de Alta Floresta registrou 2º caso de afogamento, nas águas do rio Teles Pires, em menos de dez dias (leia aqui). Gilmar Oliveira, 43 anos, estava em um Jet ski, em um lugar conhecido como ilha da saudade quando caiu do veículo e perdeu o colete salva-vidas.

Segundo consta no boletim de ocorrências, Gilmar estava acompanhado, por uma jovem. Após a queda, a mesma conseguiu alcançar o Jet ski e aguardar ser resgatada. Gilmar, que estava com colete salva-vidas aberto, não conseguiu voltar e foi levado pela força da correnteza.

O soldado Rogério, que atendeu a ocorrência no final da tarde de domingo (31), informou que uma equipe de três militares se deslocaram ao local nesta segunda-feira (01), para realizar as buscas. “Fomos comunicados ontem final da tarde que havia esse afogamento, na ilha da saudade. Deslocamos com uma equipe de três e com os equipamentos de resgate e de mergulho. Até o momento não temos informações. A área fica bem próximo da divisa entre a corporação de Alta Floresta e de Colíder. Nesses casos avaliamos as melhores condições de resgate, nesse por exemplo, a equipe de Alta Floresta estava em melhores condições para o trabalho. ”

Leia também:  Forte chuva derruba muro de batalhão em Várzea Grande

A grande extensão do rio e a forte correnteza são facilitadores para afogamentos. Casos como esse ocorre geralmente nos finais de semana. As pessoas, em momentos de descontração, cometem o erro de não fazer uso dos equipamentos de segurança, bem como de não respeitar as medidas de segurança. A fiscalização de embarcações é de responsabilidade da Marinha. Como a Delegacia Fluvial mais próxima é em Cuiabá, pode-se dizer, que as águas do Teles Pires é uma “terra” sem lei.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.