Pelo menos 33 pessoas estão desaparecidas um dia após deslizamentos de terra varrerem duas aldeias no leste da China, informou a imprensa estatal nesta quinta-feira (29), enquanto as equipes de resgate vasculham os escombros em busca de sobreviventes.

Os ventos fortes e as chuvas levadas pelo tufão Megi desencadearam os deslizamentos de terra por volta das 17h30 (6h30 de Brasília) de quarta-feira, que atingiram as aldeias de Sucun e Baofeng, na província de Zhejiang, no leste, segundo a agência de notícias oficial Xinhua.

Foto: Reuters
Foto: Reuters

Treze pessoas foram resgatadas na manhã desta quinta-feira e 33 continuam desaparecidas, informou.
Imagens divulgadas por meios de comunicação locais mostravam torrentes de água e pedras caindo de uma montanha em direção às casas localizadas no vale abaixo, enquanto pessoas aterrorizadas gritavam.
Vinte casas foram destruídas e 17 inundadas por cerca de 400.000 metros cúbicos de detritos, informou a Xinhua citando uma autoridade do condado.

Leia também:  Pedestres que atravessarem ruas olhando no celular serão multadas nos EUA

O governo realocou quase 1.500 moradores e mobilizou 1.200 integrantes das equipes de resgate no local com escavadeiras, mas as enchentes têm dificultado seus trabalhos, informou, acrescentando que deslizamentos de terra menores ainda podem ocorrer.
“Nosso trabalho agora é salvar as pessoas, sobreviventes, acima de tudo, e ao mesmo tempo evitar novos desastres secundários que podem ocorrer”, declarou o chefe das Forças Armadas do Condado de Suichang à emissora CCTV.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.