A Delegacia de Polícia de Lucas do Rio Verde deu cumprimento na tarde desta sexta-feira (30) a mandado de busca e apreensão em um posto de combustível da cidade investigado por suspeita de integrar uma rede de compra de votos. A proprietária do estabelecimento, Judith Maria Piccini, 53, foi autuada em flagrante por crime eleitoral e posse irregular de munições.

Ao longo da semana, o caso foi investigado pela Polícia Civil, após denúncia recebida via Sistema Pardal – plataforma de denúncias eleitorais, disponibilizada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

A ordem judicial de busca e apreensão foi representada pelo delegado de polícia Rafael Mendes Scatolon, sendo deferida pelo Judiciário, e cumprida por volta das 14h30 desta sexta-feira por policiais civis de Lucas do Rio Verde.

Leia também:  Dois são detidos por traficar droga no Distrito Industrial

Apreensão

A ação policial apreendeu documentos, aparelhos de CPUs e anotações diversas, incluindo uma lista de pessoas autorizadas a abastecer veículos no posto de combustível, outra lista com placa de veículos com a descrição “Eleições 2016” e o nome de um candidato a prefeito da cidade, 41 folhetos (santinhos) de uma candidata a vereadora e folders de campanha, além de notas fiscais em nomes de candidatos a vereadores, e ainda nomes de populares que teriam abastecido sem pagar porque estavam com os carros adesivados com propaganda política.

Na gaveta do escritório da empresa foram encontradas 19 munições intactas de revólver calibre 38, sendo a proprietária conduzida à delegacia e autuada em flagrante por posse irregular de munições de uso permitido, além de crime eleitoral.

Leia também:  Investigador tem documentos extraviados
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.