Parece que a coisa anda realmente meio seletiva entre os eleitores rondonopolitanos, além de renovar quase 50% dos eleitos para a próxima legislatura, de quebra ainda reprovou o nome de oito candidatos que já tiveram passagens pela Câmara Municipal como legisladores.

Dos nove ex-vereadores que tentaram retornar apenas Juary Miranda (SD), conseguiu se eleger. Nomes como de Gudo (PSL), que chegou aos 1.019 votos, Alcimar Borges (SD) com 633 votos, Márcio Bertoni (SD) 613 votos, Luciene Soares (PSDB) com 576, Mariozan Pacheco (PSC), com 305, Vilma (PSB), que inclusive já havia exercido o mandato de deputada estadual e se afastou da política por problemas de saúde, só conseguiu neste pleito 302 votos e Valdemar Marra (SD) que obteve 219, ficaram muito aquém do esperado por eles e por parte do seu eleitorado.

Leia também:  Reginaldo deixa a Câmara e Thiago Muniz retorna na próxima semana

Além dos sete já citados ainda aparece entre os que tentaram retornar e não conseguiram o do ex-vereador e ex-prefeito, Ananias Filho (PR), que apesar de bem votado não conseguiu voltar para a câmara. Entre os seus correligionários, corre a boca miúda que Ananias teria sido traído mais uma vez pelo seu partido, assim como aconteceu em 2012, quando ele foi candidato a prefeito. Segundo os boatos, o ex-deputado estadual Jota Barreto (PR), do mesmo partido de Ananias teria se empenhado para eleger um candidato de outro partido, Reginaldo dos Santos, o Gudo, que acabou também fracassando na sua tentativa de retorno.

O fato é que entre boatos, conversas e discussões internas, o Partido da República em Rondonópolis vive uma crise interna, assim como no restante do estado, quem sabe fazendo a famosa “DR” Ananias consegue projetar um futuro diferente para ele e o seu partido.

Leia também:  Podemos deve ser o destino de Medeiros

Já para os outros candidatos, Alcimar Borges, Márcio Bertoni, Luciene Soares, Mariozan Pacheco, Vilma dos Santos e Valdemar Marra só existe uma saída possível, abandonar a política ou usar seus votos para conseguir um cargo público, já que a prática é comum entre candidatos que não conseguiram êxito nas eleições.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.