Imagem: estudante protesto
Foto: Fabio Braga/Folhapress

Como forma de protesto, o estudante, Talles Oliveira Faria, 24 anos, do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), instituição de ensino superior ligada às Forças Armadas, foi a sua colação de grau vestido de mulher. O jovem afirma que sofreu perseguição durante o curso por ser homossexual.

Imagem: estudante protesto2
Foto: Fabio Braga/Folhapress

De acordo com o estudante diversas punições fizeram com que ele se desligasse da Aeronáutica no meio do curso para não ser expulso da faculdade. Talles se formou em engenharia da computação e recebeu o diploma com um vestido rosa, salto alto e maquiagem. Na roupa ainda haviam mensagens de críticas ao ITA.

Além de estudar no Instituto, Talles também atuava como militar, porém ele alega que se desligou da carreira devido a perseguição sistemática, efetivada por meio dos processos chamados de Formulários de Apuração de Transgressão Disciplinar. Como eram muitos, Talles decidiu se desligar da carreira para não ser expulso da faculdade.

Leia também:  A revolta dos alunos
Imagem: estudante 3
Foto: Fabio Braga/Folhapress

A Aeronáutica nega que teve havido perseguição contra o rapaz. A instituição afirma que todos os militares e funcionários civis do Comando da Aeronáutica estão sujeitos as mesmas obrigações e fazem jus a todos os benefícios previstos em legislação, sem qualquer tipo de discriminação raça, credo, orientação sexual ou demais aspectos de foro pessoal.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.