Imagem: Luiz Carlos da Rocha
O traficante Cabeça Branca foi preso em julho de 2017 – Foto: reprodução

O nome do traficante Luiz Carlos da Rocha, o Cabeça Branca, preso no ano passado em Sorriso – MT, foi associado a políticos brasileiros. A Polícia Federal encontrou indícios de uma possível conexão entre o Cabeça Branca que é considerado um dos maiores traficantes internacionais de drogas da América do Sul e alguns políticos do Brasil.

O que apontou essa ligação foi a prisão do doleiro Carlos Alexandre de Souza, o “Ceará”, que ocorreu nesta terça-feira (15) durante a Operação “Efeito Dominó”, que investiga lavagem de dinheiro proveniente do tráfico internacional de drogas.

As investigações apontaram que o dinheiro obtido pelo traficante e que era repassado ao doleiro estaria sendo usado no pagamento de propina de políticos.

Leia também:  Beto do Amendoim deve assumir presidência da Câmara

“O que nos temos até agora são apenas indícios. Só poderemos confirmar essas informações no decorrer das investigações”, informou o delegado Elvis Secco, que coordenou a prisão do traficante e foi responsável por parte importante da Operação Efeito Dominó.

De acordo com a Polícia, Ceará atuava na Lava Jato com o doleiro Alberto Youssef e firmou acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República (PGR). Como delator da Lava Jato, Ceará mencionou os políticos Fernando Collor de Mello, Aécio Neves, Renan Calheiros e Randolfe Rodrigues.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.