Imagem: Vanderlei Santos Carline
O mecânico foi vítima do advogado – Foto: José Antonio Araújo / AGORA MATO GROSSO

O delegado, Pablo Borges, de Paranatinga – MT, disse que o advogado Homero Amilcar Nedel vai responder pelos crimes de lesão corporal, tentativa de homicídio e coação. Homero além de agredir o juiz Jorge Hassib Ibrahim dentro do Fórum, também está sendo acusado de ter tentado matar o mecânico Vanderlei Santos Carline usando uma faca.

A vítima contou que estava em seu ambiente de trabalho quando o advogado chegou em uma caminhonete e foi em sua direção com uma faca. “Ele veio para me dar uma facada, mas eu consegui desviar. Eu tive que correr para ele não me matar”, disse o mecânico.

O advogado que segue preso, alegou a Polícia que o mecânico teria ofendido sua filha que também é advogada durante uma audiência. Mas, como o juiz não teria se posicionado contra as ofensas, ele foi à oficina com uma faca e tentou matar o mecânico.

Leia também:  Confira a receita de purê de batata com cenoura

Esses não foram os únicos casos de denúncia contra o advogado. Em 2011, ele foi preso por ter desacatado o delegado da cidade. O acusado foi preso sob a suspeita de ter ajudado um preso a fugir da delegacia. Na época, ele que era vice-presidente da Ordem dos Advogados no município, teria resistido à prisão e desacatado o delegado, mas passou apenas 3h preso e conseguiu um habeas corpus.

Naquela ocasião, a OAB do município defendeu o advogado afirmando que ele teria sido vítima de abuso de autoridade e teve suas prerrogativas profissionais desrespeitadas no dia da prisão.

NOTA DE REPÚDIO

Além da Ordem dos Advogado do Brasil (OAB) a Amam (Associação Matogrossense dos Magistrados) também emitiu uma nota de repúdio contra a situação vivenciada pelo juiz de Paranatinga. Confira na íntegra:

Um operador do Direito acaba de colocar o Poder Judiciário Mato-grossense no ringue. Ocorre que nesta quarta-feira (26), um advogado proferiu um soco contra um juiz, dentro do gabinete do magistrado. Mais que um soco, este atentado é um ataque à democracia – ao Estado Democrático de Direito.

Não vamos dizer que é inadmissível, que repudiamos, que é um absurdo, pois isto é o óbvio. Vamos dizer sim que a agressão é a arma dos imbecis, dos covardes, dos ignorantes. A Amam (Associação Mato-grossense de Magistrados) não admitirá ações violentas contra magistrados em seu legítimo e vital exercício do trabalho à sociedade.

A Amam vem a público declarar que acompanhará e exigirá de forma intransigente que tanto a polícia, a justiça e a Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB/MT) tomem atitudes severas em relação à agressão que o advogado Homero Amilcar Nedel cometeu contra o magistrado Jorge Hassib Ibrahim, da Segunda Vara Criminal e Cível de Paranatinga (cidade localizada a 368 km de Cuiabá).

É isso mesmo, o agressor, pasmem, é um advogado. A advocacia deve zelar pelo prestígio da Justiça. E justo um advogado que deveria atuar em parceria com a Justiça e a magistratura se colocou no papel de um agressor. Este senhor vai pagar pelo seu delito, assim como tantos criminosos que são julgados, condenados e levados para cumprir sua pena e retirados do convívio da sociedade.

A sociedade brasileira tem que enxergar este episódio com olhos de alarme. Casos de violência como este são fruto de uma espécie de campanha contra a magistratura – numa tentativa baixa de intimidá-la. Tentaram nocauteá-la. Foi um atentado que extrapolou a pessoa do magistrado e atinge todo o Estado.

Um representante da Amam seguirá para Paranatinga nesta quinta-feira (28) para acompanhar o caso de perto.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.