- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Lançamento do projeto – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

O lançamento de projeto e pesquisa inédita que busca a inclusão de jovens e pessoas com deficiência no mercado de trabalho aconteceu na manhã desta terça-feira (9), em Rondonópolis (MT). O projeto tem como objetivo ampliar a política de investimento social da região por meio de formação, informação e comunicação. O encontro acontece entre empresários e representantes de associações, sindicatos e Prefeitura de Rondonópolis por meio da Secretaria de Assistência Social e a iniciativa foi encabeçada pela Bunge, por meio de sua entidade social Fundação Bunge.

Em Rondonópolis, um dos principais desafios é a contratação de mão de obra qualificada, além do cumprimento de duas importantes leis para inclusão: Lei da Aprendizagem, que determina que todas as empresas de médio e grande porte devem contratar de 5% a 15% de jovens entre 14 e 24 anos; e a Lei para PCDs, que garante a inclusão no mercado de trabalho de pessoas com algum tipo de deficiência.

Leia também:  Ladras agem durante o dia e furtam supermercado em Rondonópolis
- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Cláudia Buzzette Calais – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

“Atualmente em todo o Brasil é possível notar as dificuldades que existem nessa inclusão no mercado de trabalho. Estamos trabalhando em uma rede com várias empresas, sindicatos, buscando ideias. Queremos oferecer uma porta de entrada para essas pessoas terem acesso a uma formação de qualidade integrando o banco de dados onde as empresas tenham onde achar esses profissionais. É um tripé com comunicação, informação e formação” explica a Diretora Executiva da Fundação Bunge, Cláudia Buzzette Calais.

- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Robson Neves – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

Segundo o Gerente Administrativo da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Rondonópolis (ACIR), Robson Neves, na cidade existe mais de 3 mil pessoas com deficiência cadastradas e fora do mercado de trabalho. “Queremos fazer essa ligação entre essas pessoas desempregadas com as empresas, o problema é que muitos acham que vão perder, mas na verdade acabam ganhando” ressalta Robson.

Leia também:  Primeira jovem de Alto Araguaia realizará intercâmbio fora do país
- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Fernanda Moreto – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

A Diretora do Centro Louis Braille, Fernanda Moreto, diz que é importante buscar um equilíbrio nas propostas em que a lei propõe e a prática.

“Muitas vezes a pessoa portadora de deficiência não quer concorrer a uma vaga de emprego para não perder os benefícios. As empresas cansam de pedir alguém para cumprir a vaga, mas a gente muitas vezes não consegue ninguém. Essas pessoas geralmente fazem tratamento, viajam para fazer cirurgias, tomam remédio e nem sempre estão bem. Muitas vezes elas não têm disponibilidade para cumprir os horários de trabalho, sem contar que muitas empresas não possuem adaptação para o trabalho e isso desanima a pessoa com deficiência. É importante fazer uma pergunta, será mesmo que a empresa quer contratar a pessoa com deficiência ou ela quer só cumprir a lei? ” ressalta Fernanda.

Leia também:  Aplicação do Enem terá quatro horários diferentes
- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Prefeito Zé Carlos – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

O Prefeito Zé Carlos também esteve presente no lançamento e ressaltou que existem parcerias formadas na cidade como forma de contribuir com a qualificação dos jovens. “Essa é a primeira vez que um Prefeito da cidade faz uma parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial. Só na semana passada foram disponibilizados 1.500 cursos para os jovens em busca de qualificação” ressalta o Prefeito.

- Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO
Lançamento do projeto – Foto: Varlei Cordova / AGORA MATO GROSSO

 

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.