Palestra Projeto Autismo na Escola. - Foto/ Arquivo Pessoal
Palestra Projeto Autismo na Escola. – Foto/ Arquivo Pessoal

Érica Rezende Barbieri é psicóloga e mãe de três filhos sendo dois dentro do TEA (Transtorno do Espectro Autista) e juntamente com o esposo Célio Luciano Barbieri percorrem escolas, instituições, igrejas, hospitais divulgando o Projeto Autismo na Escola e visando promover a inclusão.

Psicóloga Érica Rezende Barbieri -Foto/ Arquivo Pessoal
Psicóloga Érica Rezende Barbieri – Foto/ Arquivo Pessoal

A psicóloga relata que sempre sentiu na pele o ato de discriminação e no dia 24 de dezembro de 2016, a sua família teve uma grande chateação em relação ao preconceito que já estavam passando a algum tempo. Neste dia ela digitou todo o projeto e no dia 10 de fevereiro de 2017 foi inaugurada a primeira palestra do Projeto Autismo na Escola.

Érica ainda diz que os sintomas de autismo são percebidos quando criança e o diagnóstico é muito difícil, pois é feito de exclusão e não de precisão, o responsável percebendo algo na criança deve procurar um neurologista ou psiquiatra que vai iniciar todo trabalho para diagnosticar o que a criança realmente tem, ela ainda destaca dizendo que o autismo não é uma doença, e que as pessoas que estão inclusas dentro do TEA necessitam de muito amor.

Érica e o esposo com o manual do Projeto Autismo na Escola - Foto/ Arquivo Pessoal
Érica e o esposo com o manual do Projeto Autismo na Escola – Foto/ Arquivo Pessoal

Sinais de autismo:

  • Evita contato visual.
  • A criança não responde quando é chamada.
  • Desenvolvimento de linguagem parece ser diferente.
  • Fica fazendo movimentos repetitivos.
  • Segue rotina próprias e muito rígidas.
  • Comunica melhor apenas quando fala de assuntos de seu interesse.
  • Reage excessivamente a barulhos altos ou contato físico.
  • Costuma mexer com os dedos e mãos de forma peculiar.
  • Repete frases que ouviu em filmes e desenhos.
  • Isola dos colegas sem motivos.
  • Tem pouca noção de perigo.

 

A psicóloga orienta que quando se deparar com alguém com uma dessas características acima deve primeiramente manter a calma e não julgar. O autismo não é contagioso e nem é falta de educação ou limite. Deve oferecer ajuda (mãe, pai ou responsável) perguntando como pode ajudar sempre transmitindo tranquilidade e confiança.

Palestra Projeto Autismo na Escola - Foto/ Arquivo Pessoal
Palestra Projeto Autismo na Escola – Foto/ Arquivo Pessoal

Um relatório do Centro de Controle de Doenças (CDC) mostrou um aumento significativo na porcentagem de crianças com transtorno do espectro do autismo (TEA) nos Estados Unidos. O estudo revelou que 1 em 59 crianças tem autismo, o que corresponde a um aumento de 15% em relação aos últimos dois anos, data da pesquisa anterior. O levantamento foi realizado em 11 estados norte-americanos com 300 crianças de 8 anos, o que representa 8% das crianças desta idade nos Estados Unidos.

Já em Rondonópolis em termos de incidência de autismo diagnosticado já ultrapassam 100  matriculados na rede municipal de 3 à 6 anos, cerca de 40 na rede estadual e 30 no ensino particular. Sendo o índice de autismo em Rondonópolis é considerado alto.

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.