O corpo do modelo Tales Newton Gomes Alvarenga Soares, o Tales Cotta, de 25 anos, começou a ser velado na manhã desta segunda-feira (29) na Capela Velório do Hospital César Leite, em Manhuaçu, cidade da Zona da Mata de Minas Gerais onde Cotta nasceu.

Tales morreu neste sábado (27) após desmaiar enquanto desfilava para a marca Också na São Paulo Fashion Week (SPFW). O enterro está marcado para as 17h no Cemitério Municipal de Manhuaçu.

Segundo o boletim de ocorrência do caso, o modelo teve ‘morte súbita sem causa determinante aparente’. Laudo necroscópico apontará o que causou a morte do jovem.

O rapaz caiu na passarela da 47ª SPFW durante desfile da grife Också na Zona Oeste de São Paulo. Após o desmaio, ele foi levado de ambulância para um hospital, mas, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde, o modelo chegou sem vida à unidade médica.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, Rogério Gomes da Silva, agente do modelo, declarou no 14º Distrito Policial (DP), em Pinheiros, que Tales “teve um mal-estar e veio a cair na passarela, tendo uma convulsão”.

De acordo com a organização da semana de moda da capital paulista, Tales teve um mal súbito neste sábado durante o desfile da marca Också caiu na passarela e foi imediatamente atendido. Ele chegou a ser socorrido, mas a morte foi confirmada no começo da noite.

Tales Newton Gomes Alvarenga Soares - Foto/Reprodução
Tales Newton Gomes Alvarenga Soares – Foto/Reprodução

Heloisa, mãe de Tales, disse na manhã desta segunda-feira (29), durante o velório do filho, que ele não tinha qualquer tipo de doença, era uma pessoa saudável e se preocupava com a saúde.

Heloisa perguntou ao filho se ele havia se alimentado e que ele e o amigo tinham comido bolo de cenoura e que mais tarde Tales varia a gravação de uma propaganda.

Com relação à morte de outro filho, Heloisa explicou que ele era militar e que durante o atendimento a uma ocorrência a viatura bateu. O policial ficou internado, em coma, e não resistiu

Irmã
Gabrielle Gomes, uma das irmãs de Tales, afirmou neste domingo (28) que ele não tinha conhecimento de nenhum problema de saúde, nem histórico de ataque de epilepsia ou desmaios. Ela e a mãe, Heloisa Cotta, haviam falado com Tales pouco antes do desfile por videochamada, que ele estava bem, e havia se alimentado no evento.

Família via desfile pela web
Mãe e irmã, que moram em Manhuaçu, acompanhavam ao vivo pela internet a transmissão do desfile, quando a mãe percebeu que Tales não voltou a passarela. E pouco depois a transmissão foi cortada, de acordo com Gabrielle.

Tales, que trabalhava como modelo desde os 18 anos, estava com tudo preparado para ir trabalhar no exterior. De Manhuaçu, era formado em educação física, pela Universidade Federal do Espírito Santo, e atualmente morava em São Paulo.

Uma irmã que mora no Rio de Janeiro foi para São Paulo cuidar da liberação do corpo. Gabrielle contou que Tales é o segundo irmão que ela perde. Disse que há quase 12 anos outro irmão que era militar, também morreu enquanto trabalhava.

A família ainda não sabe qual foi a causa da morte do modelo. A polícia está investigando.

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.