27 de novembro de 2020
Mais
    Capa Destaques CTE Pantanal recebe ministro para discutir projetos de desenvolvimento sustentável
    MEIO AMBIENTE

    CTE Pantanal recebe ministro para discutir projetos de desenvolvimento sustentável

    Wellington anunciou ainda que grupo debaterá a recuperação de bacias hidrográficas, visando levar segurança hídrica à região

    A Comissão Temporária Externa do Senado – criada para acompanhamento das ações de enfrentamento aos incêndios detectados no Pantanal – se reúne nesta quarta-feira, 04, para discutir a criação de programas e projetos de desenvolvimento sustentável para o bioma. A reunião remota, a partir das 10 horas – horário de Brasília -, terá como convidado o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

    A criação de um modelo de desenvolvimento sustentável que agregue valor ao produto pantaneiro e proteja a biodiversidade da região tem sido uma das principais linhas de atuação da CTE Pantanal. Segundo o senador Wellington Fagundes (PL-MT), que preside a Comissão, somente com uma atuação coordenada será possível evitar que os incêndios florestais se repitam no ano que vem.

    “Não podemos abandonar o Pantanal. É preciso ter cuidado. E para isso, necessário se faz olhar para o bioma de forma sustentável, através de suas populações” – frisou.

    Para o presidente da CTE Pantanal, a prática de ações bem coordenadas poderá ampliar a renda do homem pantaneiro, incentivar o desenvolvimento econômico, contribuir para o turismo e para a preservação do meio ambiente local. Ele também acredita que o debate deve abranger a recuperação de bacias hidrográficas como forma de proporcionar segurança hídrica à região.

    Marinho será o terceiro ministro a participar das audiências da CTE Pantanal. O primeiro foi Ricardo Salles, de Meio Ambiente. Entre outras medidas, ele defendeu o uso de fogo preventivo para controlar queimadas. Depois, foi a vez da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que sustentou a necessidade de mais bovinos para proteger o bioma do fogo. Ela disse que, se o rebanho bovino fosse maior, a dimensão de incêndios no Pantanal poderia teria sido menor.

    Boi Bombeiro

    A ministra da Agricultura, aliás, deverá apresentar explicações sobre a atividade pecuária no Pantanal, além de dados sobre a evolução do rebanho bovino em municípios da região. Requerimento com esse objetivo foi aprovado na sexta-feira passada, na última reunião da CTE Pantanal. O autor do requerimento, Wellington Fagundes; pede que os dados liberados compreendam o período de 1991 até 2020.

    Os dados solicitados, segundo o senador, ajudarão a traçar providências para evitar novos focos de incêndios, permitir a limpeza dos locais já atingidos, bem como fornecer proteção às populações diretamente afetadas, desenvolver a economia, defender a fauna e a flora e assegurar transparência nas atividades coordenadas pela Operação Pantanal.

    ÚLTIMAS NOTÍCIAS