21 de junho de 2021
Mais
    Capa Destaques Seduc-MT diz que não há prazo para reformar escola com risco de...
    NO PARQUE UNIVERSITÁRIO

    Seduc-MT diz que não há prazo para reformar escola com risco de desabamento

    Seduc-MT confirmou ter conhecimento dos problemas, mas alega que não há prazo para conclusão de licitação e início da reforma na Escola Professora Amélia de Oliveira Silva, em Rondonópolis

    Imagem: escola amelia Seduc-MT diz que não há prazo para reformar escola com risco de desabamento
    Conselho Deliberativo vetou retomada de atividades antes da solução de problemas apontados em relatório técnico – Foto: Divulgação

    A Secretaria Estadual de Educação (Seduc-MT) disse que já iniciou os procedimentos visando a reforma do prédio da Escola Professora Amélia de Oliveira Silva, no Parque Universitário, mas ainda não tem previsão de quando a obra será iniciada. Em reunião realizada na terça-feira (7), o Conselho Deliberativo condicionou o retorno das atividades presenciais em sistema híbrido à realização da reforma.

    Nesta semana o portal AGORA MT revelou que desde janeiro deste ano a Seduc-MT tem em mãos um relatório técnico apontando risco de desabamento do prédio. O problema é causado por rachaduras que atravessam paredes de um pavilhão inteiro. O relatório também registra o rebaixamento do piso, armações metálicas expostas e alerta que a situação põe em risco a vida de alunos e servidores.

    Em resposta enviada ontem (8) ao AGORA MT, a assessoria da Secretaria de Educação confirmou que tem conhecimento da situação. Conforme eles, foi orientada a interdição das áreas afetadas e tomadas outras medidas.

    “O projeto para a cozinha e sala de professores está em elaboração de projeto para licitação. Não tem previsão de quando será feita essa licitação e início da obra”, informou a nota.

    CONDIÇÃO
    A diretora da escola, Vânia Maria dos Santos, disse que o assunto está sendo discutido com a Seduc-MT por intermédio dos assessores pedagógicos do Departamento Regional de Educação em Rondonópolis.

    “A Seduc disse que está tomando providências, mas adiantou que o processo de licitação é muito longo e que a reforma pode demorar meses, até um ano. Eles vão direcionar a escola para um processo de resolução urgente da problemática”, disse Vânia.

    Imagem: situacao escola amelia Seduc-MT diz que não há prazo para reformar escola com risco de desabamento
    Paredes rachadas e armações metálicas expostas comprometem a segurança de alunos e trabalhadores – Foto: Reprodução

    As medidas de ‘resolução’ devem ser detalhadas nas próximas semanas, mas já há uma decisão do Conselho Deliberativo da Comunidade Escolar (CDCD) de não aceitar o retorno de atividades presenciais enquanto houver risco à segurança.

    A decisão foi tomada na reunião realizada por videoconferência na terça-feira à noite com representantes de pais, professores, alunos, técnicos e equipe de apoio.

    “O CDCE claramente verificou que neste momento a escola está muito vulnerável para receber ou aumentar a circulação de pessoas. Estamos estudando as possibilidades. A Seduc está em contato com as assessoras da unidade e acreditamos que o problema seja solucionado para garantir o retorno das atividades escolares”, disse Vânia dos Santos.