Em 2011, 60% das operadoras de saúde médico hospitalar e odontológicas ficaram entre as duas melhores faixas do Índice de Desempenho da Saúde Suplementar (IDSS) em avaliação realiada pela Agência Nacional de Saúde (ANS). As 1.239 operadoras foram avaliadas e 735 delas obtiveram as melhores notas.

O resultado é melhor do que o registrado em 2010, quando 482 operadoras (31% entre 1.517 pesquisadas) ficaram naquela faixa de qualidade. Os dados foram anunciados nesta quinta-feira (13), Andrea Carlesso Lozer, coordenadora de Qualidade e Conhecimento da ANS.

As 735 operadoras, que ficaram na faixa de notas que vai de 0,6 a 1 (sendo zero a menor nota e 1 a maior), representam 45.735.930 beneficiários. Já o número de operadoras que tiveram menores notas (na faixa de 0 a 0,1) caiu de 383 em 2010 para apenas 54 em 2011, e somam 474.056 beneficiários, segundo a ANS.

Leia também:  Bandidos gravam primos cavando covas antes de serem mortos

A dimensão da Atenção à Saúde tem peso de 40% na formação do IDDS, a Econômico-financeira, 20%; Estrutura e Operação, 20%; e Satisfação dos Beneficiários, também 20%, explicou a ANS.

Segundo Andrea, em 2010, a Satisfação dos Beneficiários tinha peso de 10% na composição do IDSS. O resultado é baseado nas reclamações chegadas à ANS. Em 2011, o peso aumentou para 20%, e a avaliação de 2012, a ser divulgada no primeiro semestre de 2013, envolve a pesquisa direta com os usuários dos planos de saúde.

Andrea explica que a ANS elaborou a metodologia da pesquisa e o questionário, que é repassado às operadores e elas se encarregam da tarefa de entrevistar os usuários por telefone. As gravações são repassadas para a ANS.

Leia também:  Seis crianças morrem e várias ficam gravemente feridas ao serem queimadas dentro de creche em MG

Número de operadoras cai
Analisando somente as operadoras médico-hospitalares, 62% ficaram nas duas melhores faixas de desempenho em 2011, enquanto em 2010, foram apenas 32%. Já entre as operadoras apenas odontológicas, 52% têm as melhores notas, contra 29% registradas em 2010, segundo os dados da ANS.

O número de operadoras caiu de 1.517 em 2010 para 1.239 em 2011 por conta de cancelamentos em virtude de não cumprimento de normas da agência, e por movimentações no mercado, com fusões e incorporações. No entanto, o número de usuários aumentou de 58 milhões para 60 milhões.

Segundo André Longo, presidente interino da ANS, o consumidor está mais consciente para buscar um serviço de qualidade.

Leia também:  Corpos de mais duas crianças são encontrados no 3° dia de buscas em naufrágio do Pará

“Mas a queda do número de operadoras em ação em 2011, em relação a 2010, também é fruto da rigidez da fiscalização da agência”, acrescentou Longo.

André Longo anunciou ainda o Espaço da Qualidade no portal da agência, onde os usuários de planos de saúde poderão consultar informações e indicadores de qualidade da saúde suplementar.

“Com o Espaço da Qualidade estamos dando ao cidadão mais uma ferramenta de transparência, facilitando o acesso à informação na hora de escolher ou mudar de plano”, disse Longo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.