Em linha com sua estratégia de crescimento no mercado de transporte de líquidos, a ALL – América Latina Logística dá inicio a operação inédita para a movimentação de biodiesel via ferrovia. O projeto, desenvolvido em parceria com a Camera Agricultura, Alimentos e Energia, contou com investimento total de R$ 1,3 milhões e teve operação iniciada na última semana. Com volume equivalente a 20% do biodiesel vendido pela Camera no 32º leilão (L32), as primeiras cargas sairão da usina da companhia, localizada em Ijuí (RS), rumo a Araucária, no Paraná.

A operação marcará o avanço do transporte de biocombustível via ferrovia, até então realizado majoritariamente pelo modal rodoviário. Entre outras vantagens, o sistema ferroviário reduz os custos de transportes, o número de caminhões circulando pelas rodovias e os impactos ambientais.

Leia também:  Preço do aluguel cai nos últimos meses em Rondonópolis| TV Agora

“Esta inovação na logística do biodiesel resulta da estratégia da Camera de estar presente em todos os elos da cadeia, não apenas com produtos de qualidade, mas também com soluções de eficiência operacional e atendimento diferenciado para o conjunto das partes relacionadas, além é claro de corroborar que estamos prontos para o novo marco regulatório do Biodiesel, que deverá elevar a mistura de 5% para 7%”, afirma o gerente de Biocombustíveis da Camera, João Artur Manjabosco.

Esta é a primeira parceria da ALL para a movimentação de biodiesel via ferrovia, mas a companhia já está desenvolvendo projetos junto a outros produtores. A meta é atender 100% do volume de biodiesel transportado do Rio Grande do Sul a Araucária, além da carga que segue das usinas do Centro-Oeste até a refinaria da Petrobras em Paulínia (SP), até 2015. Além disso, ainda este mês, a companhia prevê o início do transporte de biodiesel destinado à exportação.

Leia também:  Comércio deve atrair os clientes para a compra dos presentes

“Vemos com um enorme potencial o transporte de biodiesel via ferrovia. Neste projeto da Camera, começaremos com uma capacidade de atendimento de 15 vagões por dia, o que representa a retirada de até 30 carretas das estradas”, conta Leonardo Dallegrave, Gerente de Líquidos da ALL.

O crescimento da capacidade instalada e aumento da mistura do biodiesel ao diesel mineral também potencializam as oportunidades para os próximos anos. “Este representa um mercado novo para a companhia. A nossa expectativa é termos capacidade instalada para atendimento de 60 mil m³/ mês até o final do ano”, afirma o executivo.

O aumento da produção do biodiesel, reflexo do PNPB – Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel – e da vasta disponibilidade de matéria-prima do nosso país, fez com que sua competitividade aumentasse, contribuindo para as produtoras buscarem mais eficiência no processo. Nesse cenário a ferrovia apareceu como saída mais eficiente para reduzir os custos operacionais de logística.

Leia também:  Greve no Detran faz emplacamentos caírem em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.