Os consumidores poderão contar com uma lista de remédio maior e mais barata, uma medida do Ministério da Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), estipula que os medicamentos similares serão mais uma opção aos de referência, como já acontece com os genéricos.

Os medicamentos similares serão inclusos na Consulta Pública, a ser lançado nesta sexta-feira (17), onde a mesma prescrição médica, que atualmente permite ao paciente adquirir medicamentos de referência e genérico, também poderá ser usada para a compra do similar. A iniciativa permitirá a ampliação de opções no mercado, contudo após passar por estudos de equivalência, análises e aprovação da Agência.

O Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, defende que os similares à população podem ser até 35% mais baratos em comparação aos de referência. E também que quanto há maior a variedade destes medicamentos, cresce a competitividade no mercado.

Leia também:  Grave acidente entre 4 carretas e um ônibus deixa vários feridos em SP

Após a comprovação da equivalência e desempenho da mesma função terapêutica os medicamentos similares deverão receber nas embalagens o símbolo “EQ”.

Em 2012, em quantidades comercializadas, os medicamentos similares representaram 24,8% do mercado nacional. Os Genéricos ficaram com 37,1% e os produtos novos representaram 23,2% do mercado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.