Confirmado como o próximo desafiante ao cinturão dos penas do UFC, o americano Chad Mendes não vê a hora de subir ao octógono no dia 2 de agosto, em Los Angeles, e tentar dar ao brasileiro José Aldo o troco da derrota no UFC 142, no Rio de Janeiro, quando foi nocauteado faltando um segundo para o fim do primeiro round com uma joelhada certeira na cabeça. Mais experiente, e com uma sequência invicta de cinco lutas desde então, sendo quatro por nocaute, o membro da equipe Alpha Male garante que usou a derrota para Aldo como plataforma para se reerguer e voltar a disputar o título da divisão. Para isso, estudou as lutas do campeão e, na sua opinião, viu um José Aldo mais cauteloso. Para Mendes, essa cautela seria a chance que o brasileiro poderia dá-lo para tomar o cinturão de campeão do UFC de suas mãos.

Leia também:  Reway estará em jogo das eliminatórias da Copa do Mundo

– Certamente notei isso. Na última luta, senti que ele fez o bastante para vencer. Ele estava em modo de cruzeiro, e isso é perigoso, porque no momento que você está nesse modo, você pode ser pego e ser derrotado. Ele acabou de ter um bebê, está casado, está se lesionando muito nos últimos anos, talvez esteja pensando em parar daqui a pouco. Eu estou me preparando para esta luta desde que voltei do Brasil. Vou entrar determinado a mostrar que sou o melhor peso-pena do mundo e vai ser ótimo fazer isso em frente à minha torcida, em Los Angeles – disse Mendes em entrevista ao programa “MMA Hour”.

Leia também:  Copa Federação pode ter jogos às segundas

O americano também revelou na entrevista que reviu a sua luta contra José Aldo muitas vezes, e garante que, hoje, está mais pronto do que estava em 2012 para ser campeão.

– Tenho visto as suas lutas. É algo que vou prestar atenção, além das últimas quatro. Sinto que sou um lutador completamente diferente daquilo que eu era em 2012. Eu confiava 90% no meu wrestling e, olhando para trás, provavelmente não estava pronto na época. Eu só tinha duas lutas no UFC, ainda estava tentando me descobrir como lutador, mas não se diz não para essas lutas. Sinto que estava vencendo aquele primeiro round e fui pego. Acho que desta vez vai ser completamente diferente. Naquela época, eu certamente estava mais preparado do que nunca para aquela luta. Mas olhando para trás, há muitas coisas que podia ter melhorado e acrescentado ao meu jogo. Mas não se diz não a essas lutas, você pode se machucar e sair do esporte em três anos. Quando te convidam, você aceita essa luta. Uma das coisas que vou prestar atenção é em não derrubá-lo perto da grade. Vou falar para os árbitros para prestar atenção nisso antes da luta, para ele não segurar a grade.

Leia também:  Copa do Brasil é a meta de Pesso

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.