Em julho de 2016, o preço pago ao produtor de leite registrou valor recorde e fechou a R$ 1,18 litro, aumento de 5,9% em relação a junho /16, e de 39,2% no comparativo anual a preços nominais. As informações foram divulgadas pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Mais uma vez, o principal motivo para o reajuste na matéria-prima é a baixa oferta de leite no campo, tendo em vista o período de entressafra. Com a menor oferta de leite, os preços dos derivados no atacado também aumentaram, com destaque para o leite UHT e o queijo muçarela, que subiram 23,3% e 7,7% em jul/16, respectivamente.

Desta forma, com a reação nos preços dos derivados, as indústrias puderam repassar parte desses aumentos aos produtores, que têm sofrido com os altos custos de produção que, pouco a pouco, inviabiliza e cada vez mais retira o produtor da atividade. Por outro lado, os agentes de mercado vêm sinalizando estagnação na demanda, por causa do cenário econômico, fator que pode amortecer mais aumentos no preço do leite.

Leia também:  Preço do leite pago ao produtor sofre variação e cai em MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.