Imagem: page
Bryan, Lucas e Kelvin morrem em confronto com a Rotam – Fotos: divulgação

Funk proibidão, uso de droga e até fogos de artifício marcaram o funeral de um dos cinco bandidos mortos em confronto com policiais militares na Estrada de Manso, na última quarta-feira (30), em Cuiabá. A ‘baderna’ foi tão grande no Cemitério Bom Jesus de Cuiabá, que a Polícia Militar teve que intervir. Inclusive, uma viatura foi apedrejada.

Os criminosos mortos foram: Vanderson da Conceição Ferreira, de 33 anos, Lucas Matheus Campos Arce, de 21, Kelvin Dias Nascimento, de 23, Bryan Christian Rodrigues Pinheiro, de 19, e Francisco Junior de Carvalho, de 32. De acordo com a assessoria da Polícia Militar, ainda não se sabe de qual dos bandidos era o funeral. O ‘evento’ foi controlado e ninguém precisou ser preso.

Vídeos que circulam em grupos de WhatsApp e chegaram à redação do PORTAL AGORA MATO GROSSO mostram várias pessoas dançando, inclusive com camisetas nas mãos, enquanto seguem os veículos que tocam funk no volume máximo. Alguns deles faziam apologia ao crime e símbolos vangloriando a facção Comando Vermelho. Nas redes sociais amigos e parentes dos criminosos mortos detonaram a ação da PM e enaltereceram a facção criminosa. A Polícia Civil deve investigar todas as contas envolvidas.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Militar, ao menos 50 pessoas estavam no cemitério. Em determinado momento, eles soltaram fogos de artifício e “cantaram pneus” de motocicleta. Algumas porções de drogas foram encontradas no chão, mas ninguém se apresentou como dono. Uma viatura do 9° BPM esteve no local e foi apedrejada. Reforço foi chamado e a situação controlada sem efetuar qualquer prisão.

Conhecidos da polícia

Quatro dos cinco mortos no confronto tinham antecedentes criminais. Inclusive, um deles usava tornozeleira eletrônica. Vanderson, o “Deco”, era morador do bairro Santa Isabel e respondia a processos por homicídio, roubo e estelionato. Lucas, o “Testa”, era morador do bairro Dom Aquino, e respondia processos por envolvimento em roubos.

Bryan também morador do bairro Dom Aquino respondia a processos por dirigir sem habilitação e por roubos. Francisco, que usava tornozeleira eletrônica, morava no Parque Mariana e tinha antecedentes por roubos e porte de arma.  O único que foi morto e que não tinha antecedentes, era Kelvin. A polícia acredita que eles faziam parte do Comando Vermelho.

As mortes

O confronto entre os criminosos e homens da Rondas Ostensivas Tático Móvel (Rotam) aconteceu em uma área de chácaras, na Estrada de Manso, na última quarta-feira (30). A Polícia Militar recebeu uma denúncia anônima de que os criminosos, que seriam de uma facção criminosa, estavam planejando um novo assalto a banco na Capital.

Os suspeitos estavam em um Gol branco e reagiram à tentativa de abordagem dos policiais. Em um primeiro momento, armados, três deles desceram do veículo e não respeitaram a ordem para que jogassem as armas no chão. Eles então foram atingidos pelos disparos.

Na sequência, dois suspeitos que tinham permanecido dentro do veículo fugiram do local. No entanto, a cerca de 100 metros dali uma outra equipe da Rotam tentou interceptá-los e também houve confronto. Três morreram no local e dois foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levados para o Pronto-Socorro de Cuiabá. Porém, morreram na unidade hospitalar logo após darem entrada no box de emergência.

 

 

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.