Descontentes com o posicionamento do Ministro da Educação, Fernando Haddad, os acadêmicos da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) realizaram uma série de reuniões para articular formas de chamar a atenção do ministro quanto a negativa sobre a criação da Universidade Federal de Rondonópolis (UFR).

Nesta terça-feira (28/11) foi programado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) a realização de três assembleias com os universitários, sendo as 7h, 13h e 19h, para mostrar o descontentamento dos estudantes quanto a negativa do desmembramento da UFMT.

Dentre as propostas sugeridas nas duas primeiras reuniões estão a greve no campus, marcha cultural no centro da cidade, a mobilização dos estudantes secundarias, pois serão os próximos a ingressar na universidade e também o bloqueio de uma rodovia federal, como forma de buscar a atenção das autoridades para que seja criada a UFR.

Leia também:  TURFE POINT – SPORTS BAR em Cuiabá

foto: Varlei Cordova/AGORAMT
Pâmella Araújo Balcaçar, presidente do DCE, disse que após as assembleias as decisões comuns serão postas em práticas o quanto antes, pois Rondonópolis merece a criação da UFR, principalmente porque será aberto espaço para criação de novos projetos de pesquisa, mais cursos de graduação e mestrado, dentre outros investimentos.

A data das manifestações serão definidas após a assembleia realizada às 19 horas, onde todas as propostas serão compiladas.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.