Os médico do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) se reuniram no início da noite desta quinta-feira (12/01) para avaliar as propostas feitas pelo prefeito José Carlos do Pátio, apresentadas por meio do secretário Municipal de Saúde, Valdecir Feltrin, e recusaram o reajuste salarial proposto pelo chefe do executivo. Sem uma negociação os médicos prometem pedir demissão.

Foto: Varlei Cordova/AGORAMT

O médico Fernando Augusto Borges de Oliveira explicou que as propostas não agradaram a categoria, pois abririam mão de alguns benefícios, como afastamento por questões de saúde,. Além do valor proposto não atingir o piso esperado, os médicos teriam que trabalhar mais, pois o número de profissionais seria reduzido.

Leia também:  Prefeitura lança processo seletivo para docentes com 67 vagas

De acordo com Fernando, a categoria irá sugerir uma contra proposta para o prefeito, ainda nesta sexta-feira (13/01), caso não seja aceita até segunda-feira (16/01) seis médicos vão cumnprir a promessa de pedir demissão do SAMU e os demais profissionais estão propensos a acompanhá-los.

Fernando disse que em relação às questões estruturais, há uma sutil mudança, contudo ainda falta muito para melhorar. A situação das ambulâncias ainda permanece em estado de calamidade, o que também preocupa aos médicos.

Matérias relacionadas

Médicos do Samu podem decidir por demissão coletiva

Pátio deixa reunião que termina sem acordo

Vereadores pedem para médicos do Samu não se demitirem

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.